Alfonso XIII e Manuel II: as duas faces da mesma moeda no discurso republicano português (1908-1910)

Teresa Nunes

Resumen

O reinado de D.Manuel II (1908-1910) caracterizou-se pela intensa actividade de propaganda política, com o objectivo de dar a conhecer o novo rei e, simultaneamente, estabilizar o reino na sequência do Regicídio de 1 de Fevereiro de 1908. A esta campanha monárquica, amplamente patrocinada pela rainha D.Amélia, o Partido Republicano Português correspondia com uma avaliação da figura régia, centrada em conceitos fundamentais como a juventude e a inexperiência do rei. A entrevista de Vila Viçosa, realizada em Fevereiro de 1909, abria novas perspectivas de abordagem e crítica ao Partido Republicano Português através das duas figuras régias da Península Ibérica. O objectivo do presente trabalho reside na análise do discurso político republicano sobre Alfonso XIII e Manuel II entre 1908 e 1910.


Palabras clave

Monarquia; República; Estado; discurso político; propaganda

Referencias

CATROGA, Fernando (1991). O Republicanismo em Portugal. Da Formação ao 5 de Outubro. 2 vols. Coimbra: Faculdade de Letras de Coimbra.

FARINHA, Luís (2013). “Camacho, Manuel de Brito (1862-1934)”. Dicionário de História da I República e do Republicanismo. Vol. I. Lisboa: Assembleia da República, 492-494.

FARINHA, Luís (2013a). “Costa, Afonso Augusto (1871-1937)”. Dicionário de História da I República e do Republicanismo, vol. I. Lisboa: Assembleia da República, 933-936.

GUEVARA, Gisela Medina (1997). As Relações Luso-Alemãs antes da Primeira Guerra Mundial. A Questão da Concessão dos Sanatórios da Ilha da Madeira. Lisboa: Colibri.

HOMEM, Amadeu Carvalho (1990). A Propaganda Republicana (1870-1910). Coimbra: Coimbra Editora.

HOMEM, Amadeu Carvalho (2002). Da Monarquia à República, Viseu: Palimage.

Jornais Republicanos: 1848-1926. Biblioteca Nacional de Portugal, Assembleia da República, Luís Sá (coord.), Lisboa, Biblioteca Nacional de Portugal, 2011.

LEAL, Ernesto Castro (coord.)(2014). Manifestos, Estatutos e Programas Republicanos Portugueses [1873-1926]. Antologia. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda.

MATOS, Sérgio Campos (1993). “A Crise da Monarquia Constitucional (1890-1906)”. História de Portugal, dir. por João Medina, vol. IX. Alfragide: Ediclube.

NUNES, Teresa (2017). “José Veríssimo de Almeida – ideias políticas e militância partidária”. José Veríssimo de Almeida. Percursos de Agronomia e Política Portuguesa, coord. por Teresa Nunes. Lisboa: ISAPress, pp. 109-150.

NUNES, Teresa (2012). “Do Ultimatum à República. Tendências polítcas e económicas dominantes entre 1890”. Do Ultimatim à(s) Repúblicas, coord. por Annabel Rita e Dionísio Vila Maior. Lisboa: Esfera do Caos, 415-430.

NUNES, Teresa (2009). Carlos Malheiro Dias. Um Monárquico entre dois Regimes. Lisboa: Caleidoscópio.

NUNES, Teresa (2006). “Alfonso XIII em Portugal (12 a 15 de Fevereiro de 1909). A Visita Real a Vila Viçosa e o seu impacto”. Revista de Estudios Extremeños. Tomo LXII, nº 3. Badajoz: Departamento de Oublicaciones Excelentíssima Diputación Provincial, 1059-1082.

OLIVEIRA, Lopes de (1947). História da República Portuguesa. A Propaganda na Monarquia Constitucional.

PEREIRA, Miriam Halpern coord. (1984). Obras/Mousinho da Silveira. 2 vols. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

POINSARD, Léon (1910). Le Portugal Inconnu. 2 vols. Paris: Bureau de la Science Sociale.

PROENÇA, Maria Cândida (2009). D. Manuel II. Temas e Debates.

RAMALHO, Margarida (2018). Thomaz de Mello Breyner. Relatos de um Época. Do Final da Monarquia ao Estado Novo. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda.

RAMOS, Rui (2018), Concepções do Poder Real na Monarquia Portuguesa. Dois Países, Um Sistema. A Monarquia Constitucional dos Braganças em Portugal e no Brasil (1822-1910). Uma História Paralela de Portugal e do Brasil depois da independência brasileira, coord. Ramos, Rui, Carvalho, José, Silva, Isabel. Alfragide: Dom Quixote, 87-122.

RIBEIRO, Lia Paulo (2011). A Popularização da Cultura Republicana (1881-1910). Coimbra: Imprensa da Universidade.

RIBEIRO, Maria Manuela Tavares (1990). Portugal e a Revolução de 1848. Coimbra: Minerva.

SÁ, Victor (1978), A Revolução de Setembro de 1836. Lisboa: Livros Horizonte.

SÁ, Victor (1986). Liberais e Republicanos. Lisboa: Livros Horizonte.

SARDICA, José Miguel (2018), Crise e Queda da Monarquia Liberal Portuguesa. Dois Países, Um Sistema. A Monarquia Constitucional dos Braganças em Portugal e no Brasil (1822-1910). Uma História Paralela de Portugal e do Brasil depois da independência brasileira, coord. Ramos, Rui, Carvalho, José, Silva, Isabel. Alfragide: Dom Quixote, 379-40.

VENTURA, António (2011). Magalhães Lima: Um idealista impenitente. Lisboa: Assembleia da República.

VENTURA, António (2000). Anarquistas, Republicanos e Socialistas em Portugal. As Convergências possíveis (1892-1910). Lisboa: Edições Cosmos.

VENTURA, António (1996). José Frederico Laranjo (1846-1910). Lisboa: Colibri.

VENTURA, António (1994). Entre a República e a Acracia. O Pensamento e a Acção de Emílio Costa (1897-1914). Lisboa: Colibri.




DOI: https://doi.org/10.14198/PASADO2019.18.05





Copyright (c) 2019 Universidad de Alicante

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.